Ana

A Ana acredita que as coisas só mudam quando a gente promove a mudança.

E quando ela fala sobre gente, tá falando de algo que ela ama acima de tudo. Não é à toa que escolheu uma profissão que fala sobre, e que é ser, gente. Ana é atriz.

Sua história com o feminismo é marcada por duas grandes ações de mobilização: o Toplessaço em 2013, que convocou pela internet mulheres para um sábado de praia, sem a parte de cima do biquíni, com o objetivo de mostrar que aquilo não deve ser ofensivo para ninguém; e a campanha #meuaborto, criada em 2016, que reúne relatos de mulheres e se posiciona, de forma afetuosa e respeitosa, a favor da legalização do aborto. Foi nesse projeto que ela contou, pela primeira vez, sobre o aborto espontâneo que sofreu, aos 21 anos.

Para a Ana, a capacidade do feminino de gerar, nos torna ainda mais capazes de construir pontes entre nós, e essa é uma forte ferramenta para as causas que defendemos.

Sobre sua maior conquista, a Ana responde: “nenhuma”. Não existem conquistas plenas e eternas, segundo ela. Toda conquista é diária e de tempos em tempos precisamos reconquistar aquilo que alcançamos e por algum motivo perdemos.

E, quando a Ana quer conquistar alguma coisa, provavelmente é algo que vai além do interesse individual. Não interessa a ela viver num mundo onde ela está bem, e as pessoas ao seu redor não. Suas ações de mobilização e criação de redes de apoio estão aí para provar isso.

Ana é uma feminista que faz de tudo para ser a mudança que ela quer ver.

2019-04-26T00:31:21-03:00