Carla

Carla é do tipo que acredita que existe uma força imensa dentro de cada uma de nós que supera todas as grandes dificuldades.

No último ano da faculdade de medicina, estava grávida da filha Camille. Se formou em pediatria e logo sem seguida entrou para o curso de ultrassonografia. Foi médica, estudante e mãe. Tudo ao mesmo tempo.

Sacrifícios sempre fizeram parte do seu caminho e foram encarados como escolhas necessárias. Carla aprendeu cedo que se ela não fizesse o que tinha que ser feito, ficaria sem. E, sozinha, ela trilhou seu caminho até aqui.

Em 2001 e 2009 venceu o câncer. Por duas vezes passou por perdas e reconquistas. Durante a doença, foi persistente. Segundo ela, é preciso ter a cabeça muito boa para passar por isso, mas acima de tudo, é preciso amar a vida. “Se o que preciso fazer para continuar viva é lutar, então eu vou lutar, fazer o quê?”.

E foi lutando que criou a Camille com a maior liberdade possível. Sinceridade e confiança foram suas estratégias para garantir que ela e a filha tivessem uma relação de parceria. Dentro de casa, quebrou todos os tabus e ensinou que mulher tem mais é que se impor nessa vida.

Nenhum tipo de violência deve ser tolerado e quanto mais mulheres denunciarem, conversarem sobre isso e chamarem os homens para o diálogo, mais perto estaremos do entendimento coletivo de que o machismo é atraso.

Ela considera que sua maior conquista é o conjunto de todas elas: desde a juventude, quando, apesar dos protestos do pai, comprou sua prancha de surfe, passando pela maternidade, até ter alcançado o espaço que sempre desejou no mercado de trabalho.

Carla é uma feminista que sabe da existência de uma força muito grande dentro de cada mulher. E se você ainda não acredita, ela tem provas de sobra para te dar.

2019-04-26T00:40:03-03:00