Gianne

Aos 11 anos, a Gianne conheceu o CECIP – Centro de Criação de Imagem Popular, ONG em que trabalha até hoje.

O primeiro projeto que participou foi o Repórter de Bairro, TV criada para falar dos moradores e da cultura do bairro em que ela morava em Nova Iguaçu.

Nesse projeto, a Gianne aprendeu tudo sobre o processo de produção audiovisual e, mais do que isso, teve a oportunidade de olhar o lugar onde vivia através de uma câmera, o que ela considera um divisor de águas na sua vida.

Foi nessa época que ela passou a ter contato com os fundadores do CECIP, incluindo o cineasta Eduardo Coutinho. Com eles, aprendeu a importância da democratização da informação nas periferias.

Formada em Ciências Sociais, a Gianne foi aprovada para participar de um evento com uma rede de jovens transformadores na Austrália. Depois de 3 meses lá, ela trouxe na bagagem a certeza de que seu tema de pesquisa era a juventude da periferia.

A essa altura, a Gianne já tinha se tornado coordenadora de projetos dentro do CECIP e tinha nas mãos a chance de dar a outros jovens as oportunidades que ela teve.

Agora, depois de uma curta temporada nos Estados Unidos, a Gianne já está de olho em um novo projeto fora do Brasil. Mais uma vez, com o objetivo de ampliar sua pesquisa em juventude, periferia e comunicação, pilares que foram trazidos para ela lá atrás, aos 11 anos de idade.

Para ela, sua maior conquista é trabalhar com o que acredita, levando adiante o conhecimento e as transformações que a ajudaram a entender que ela poderia ser muito mais do que imaginava.

Gianne é uma feminista que promove mudanças.

2019-04-26T00:19:55-03:00