Isabela

Formada em Engenharia de Bioprocessos e terminando a graduação em Engenharia Química, a Isabela já morou na Inglaterra, na Austrália, conheceu países da Ásia e da Europa, se dedicou ao balé clássico por 2 décadas e… acho que já deu para entender que o que não falta nela é experiência, né? E cada uma delas ajudou a compor um mosaico de conhecimentos que teve um dos seus principais escoamentos no trabalho dela na Enactus.

A Enactus é uma organização internacional de estudantes e acadêmicos que tem como objetivo colaborar com projetos de ação empreendedora. É uma organização sem fins lucrativos, onde os estudantes realizam impulsionamento de ações empreendedoras em comunidades em situação de vulnerabilidade. 

O encontro da Isabela com esse trabalho foi tiro no escuro. No meio da primeira graduação, ela não conseguia vaga de estágio e resolveu se jogar para uma nova experiência. E, de fato, foi uma virada de chave. 

Lá, a Isabela entendeu quais eram seus privilégios e aprendeu que eles carregam consigo a responsabilidade de contribuir, especialmente em uma sociedade tão desigual como a brasileira. 

A Isabela percebeu a importância de retribuir, enquanto estudante de universidade pública, entendeu que cidadania também é colaborar com deveres para que todos tenham os mesmos direitos. E foi na Enactus que ela teve uma das suas maiores realizações profissionais: um evento organizado por ela que proporcionou palestras com profissionais do terceiro setor para os estudantes. Um sentimento que foi o mais gratificante da sua vida.

Tudo isso por fazer exatamente o que ela fez ao começar o balé aos 7 anos, ir morar sozinha em dois países diferentes, e ingressar na sua segunda graduação: se jogar em uma nova experiência.

Isabela é uma feminista, bailarina, viajante e engenheira de braços abertos para o novo.

2019-12-03T12:37:27-03:00